Avançar para o conteúdo principal

World Bank of Creativity


COMO SE ORGANIZA?

O WBC funciona como um banco real, com contas, depósitos e aplicações.

Funciona totalmente online em www.worldbankivity.com e baseia-se numa lógica de economia em rede, com uma comunidade de contribuições.

Tem uma moeda própria, o Ivity – o dinheiro criativo - que equivale a um Euro, e está organizado para aceitar o contributo de três grupos de cidadãos criativos: Os doadores, os depositantes e os beneficiários.

O funcionamento do WBC assenta na energia gerada pela interacção dos três, com o depósito de ideias dos depositantes, as quais são pagas pelos fundos do banco doados pelos doadores, sendo este dinheiro aplicado nos projectos dos beneficiários.

QUAL A MECÁNICA DE PARTICIPAÇÃO?

O Depositante, depois de abrir a sua conta, deverá fazer o depósito das suas ideias.

Por cada ideia ou trabalho depositado, é-lhe atribuído um ivity.

Esse ivity será depositado na sua conta virtual e pode depois ser aplicado numa das iniciativas sociais que estejam em destaque na zona de Beneficiários do WBC.

Todos os meses receberá um extracto de conta, com o seu saldo em Ivitys, os registos dos seus movimentos e o destino dos Ivitys que tenha aplicado.

O Doador, depois de abrir a sua conta, deverá fazer a sua doação em Euros, que serão convertidos em ivitys - dinheiro criativo - e transferidos para o fundo do banco.

Receberá mensalmente um extracto geral da actividade do WBC e poderá propor iniciativas ou organizações para serem seleccionadas enquanto Beneficiários.

O Beneficiário, depois de abrir a sua conta, deverá fazer a sua candidatura que, depois de aprovada, constará durante um período de tempo no site do banco, de forma a obter os fundos necessários.

O QUE É UMA IDEIA?

Uma ideia é uma "semente", um contributo da imaginação de cada um, para inspirar um mundo melhor.

No âmbito do World Bank of Creativity, uma ideia é todo e qualquer documento – imagem, vídeo, áudio, texto, fotografia – que seja depositado pelas pessoas com conta aberta no site do WBC.

As ideias podem ser estudos, textos de análise, crónicas, trends, vídeos, obras de arte plástica ou gráfica, música, sons, entrevistas, etc.

As ideias no WBC são o combustível do sistema. São elas que geram o dinheiro criativo e que permitem que este seja aplicado.

As ideias são a contribuição pessoal de cada um para que o sistema funcione.

QUE TIPOS DE PROJECTOS VÃO SER APOIADOS?

Organizações/projectos/iniciativas infanto-juvenis, que desenvolvam ou tenham a intenção de vir a desenvolver actividades/formação que incluam o factor da criatividade enquanto disciplina/matéria curricular e/ou extracurricular.

COMO COLABORAR COM WBC?

É simples. Basta escolher o seu perfil de colaboração.

Ou é Doador, ou é Depositante, ou é Beneficiário.

O Depositante contribui com ideias e com a escolha dos projectos onde os capitais do banco vão ser aplicados.

O Doador é uma empresa ou indivíduo, que contribui com dinheiro.

O Beneficiário recebe os fundos do banco para o projecto a que se candidatou e viu aprovado.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que é o Fundraising?

«O conjunto de estratégias e procedimentos que levam as pessoas a darem voluntariamente recursos financeiros»

- O seu objetivo é conseguir doações;
- Mais do que conseguir doações, é conseguir doadores;
- Mais do que conseguir doadores é montar um sistema de conquista de doadores;
- Um sistema que os leve a doar cada vez mais e com maior frequência;
- Por fim, um sistema que os leve a deixarem um legado;
- E que façam tudo isso com alegria identificando-se com a causa da instituição.

Fundação Maria do Carmo Roque Pereira

Caros Amigos
Como muitos já sabem, o Miguel e eu dedicamo-nos de alma e coração já há vários anos à Fundação Maria do Carmo Roque Pereira.

A Fundação é uma IPSS cuja actividade principal é uma creche e um jardim Infância na zona da Graça, em Lisboa, com 50 Crianças entre os 18 meses e os 5 anos. Apoiamos também cerca de 80 familias (mais de 250 pessoas) através da entrega de cabazes do Banco Alimentar.

Funcionamos há alguns anos nos Claustros da Igreja da Graça. Um sitio lindissimo mas com muitas limitações e algumas faltas de condições, que todos os dias vamos tentando melhorar para oferecermos o melhor serviço - a equipa que ali está é extraordinária e às vezes faz verdadeiros milagres.

Como IPSS vocacionada para o apoio a famílias desfavorecidas e com muitas dificuldades, todos os dias apertamos o cinto e temos mesmo a corda ao pescoço.
Precisamos de adquirir equipamentos e materiais, e sobretudo algumas obras são necessárias para que possamos manter os requisitos míni…

Chamadas telefónicas de valor acrescentado

Recebi um e-mail com esta mensagem e embora não concorde com tudo o que se diz, aliás porque entendo que haja um custo de manutenção, deixo aqui este registo sobre as chamadas de valor acrescentado e que é sintomático daquilo que as pessoas pensam. Qualquer novo serviço, por mais positivo que seja, se não for suficientemente bem explicado, pode levantar dúvidas e até calúnias.

«É uma vergonha o que se passa com o valor das chamadas telefónicas de ajuda a vítimas de catástrofes. Vejamos então o que se passa com as ditas chamadas: Cada chamada custa a quem a faz 72 centimos (60 centimos + IVA). No entanto para as organizações de ajuda no terreno são canalizados apenas 50 centimos, ou seja mais ou menos 69% do que pagámos. Os restantes 31% - 22 cêntimos - vão uma parte para o IVA 20% e restante não sabemos bem para quem.

Assim, dos 72 centimos que oferecemos, temos que:
- organizações de Solideriedade recebem 50 centimos
- para os cofres do governo através do IVA 20% 12 cêntimos
- não sab…