Avançar para o conteúdo principal

Roupa


Se tem roupa de que já não gosta, que já não lhe serve e que já não faz sentido estar no seu armário, mas que ainda está boa, porque não oferecê-la a outras pessoas que poderão gostar dela e a quem poderá servir perfeitamente?

A Cáritas Portuguesa tem vindo a desenvolver diversas iniciativas, em todo o país, com o objectivo de apoiar as pessoas que, nos tempos difíceis em que vivemos, mais dificuldade têm tido em assegurar os seus compromissos mensais.

Neste âmbito, a Cáritas Diocesana de Lisboa tem procurado adaptar a sua resposta às novas necessidades, num esforço coordenado, que procura não só continuar a ajudar aqueles que tradicionalmente mais precisam, como também ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade que, seguramente, conseguirão retomar o rumo das suas vidas, mas que, neste momento, precisam de apoio para enfrentar o presente.

Uma das iniciativas que está, neste momento, a ser posta em prática pela Cáritas de Lisboa, através de um grupo de voluntários, consiste na criação de uma loja que oferecerá roupa com qualidade, de forma sóbria e discreta, a pessoas cuja prioridade mensal é pagar a água, a luz, o gás e a comida; pessoas a quem não sobra ordenado, só sobra mês; pessoas iguais a muitos de nós, a quem a crise tirou o emprego e a qualidade que as suas vidas tinham; pessoas que estavam habituadas a dar e não a pedir.

Onde posso entregar a roupa?

LOJA EM CARNIDE
R. Manuela Porto, 13-A
Sábados, 15H às 17H

Sede da Cáritas de Lisboa
Av. Sidónio Pais, nº 20 – 5º Dtº
Segunda a Sexta-feira, 9H às 17H

LAR DA BAFUREIRA, na Parede
Rua Camilo Dionísio Álvares, nº 565
Segunda a Sexta-feira, 9H às 17H

No caso de empresas e instituições que queiram recolher bens oferecidos por um grupo significativo de pessoas, mas não tenham transporte próprio, será possível encontrar uma solução com a Cáritas através do telefone 213 573 386.

O que posso entregar?

A Cáritas de Lisboa está disponível para receber roupa, calçado e acessórios de homem, mulher e criança; roupa de casa e roupa de cama, em bom estado, lavada e passada, que possa prontamente ser oferecida a quem dela necessita.

Antes de dar, pergunte-se: “Se me dessem, eu seria capaz de usar isto?” Se a resposta for sim, então é porque outras pessoas certamente também dirão sim.

Será muito útil:

Roupa e calçado de criança – Calçado como novo e roupa de menina ou de menino – camisolas, casacos, t-shirts, saias, vestidos, calças, fatos de treino, blusões, pijamas, casacos, etc.
Roupa de bebé e acessórios – Bodies, babygrows, lençóis, fraldas, chuchas novas, biberons não usados, etc.
Acessórios de criança – Chinelos, gorros, chapéus, fitas para o cabelo, ganchos, etc.
Roupa de grávida – Calças, camisolas, saias, etc.
Roupa de mulher – Saias, vestidos, calças, t-shirts, tops, camisolas, fatos de treino, blusões, pijamas, etc.
Roupa de homem – Calças, camisolas, pólos, t-shirts, sweaters, fatos de treino, blusões, pijamas, etc.
Roupa interior nova – meias, cuecas, soutiens
Roupa de casa – panos de cozinha, toalhas turcas, toalhas de mesa, lençóis, colchas, etc.

Não tem utilidade:

Roupa rasgada, manchada, obviamente fora de moda
Sapatos muito usados
Roupa interior usada
Roupa com fechos partidos, com falta de botões ou molas estragadas
Roupa muito usada.

Juntos podemos fazer a diferença. Juntos podemos oferecer esperança.
Contamos convosco!

Grupo de voluntários da
Av. Sidónio Pais, nº 20 – 5º Dtº
T: 213 573 386 ** Fax: 213 573 565
caritalisb@mail.telepac.pt

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que é o Fundraising?

«O conjunto de estratégias e procedimentos que levam as pessoas a darem voluntariamente recursos financeiros»

- O seu objetivo é conseguir doações;
- Mais do que conseguir doações, é conseguir doadores;
- Mais do que conseguir doadores é montar um sistema de conquista de doadores;
- Um sistema que os leve a doar cada vez mais e com maior frequência;
- Por fim, um sistema que os leve a deixarem um legado;
- E que façam tudo isso com alegria identificando-se com a causa da instituição.

Fundação Maria do Carmo Roque Pereira

Caros Amigos
Como muitos já sabem, o Miguel e eu dedicamo-nos de alma e coração já há vários anos à Fundação Maria do Carmo Roque Pereira.

A Fundação é uma IPSS cuja actividade principal é uma creche e um jardim Infância na zona da Graça, em Lisboa, com 50 Crianças entre os 18 meses e os 5 anos. Apoiamos também cerca de 80 familias (mais de 250 pessoas) através da entrega de cabazes do Banco Alimentar.

Funcionamos há alguns anos nos Claustros da Igreja da Graça. Um sitio lindissimo mas com muitas limitações e algumas faltas de condições, que todos os dias vamos tentando melhorar para oferecermos o melhor serviço - a equipa que ali está é extraordinária e às vezes faz verdadeiros milagres.

Como IPSS vocacionada para o apoio a famílias desfavorecidas e com muitas dificuldades, todos os dias apertamos o cinto e temos mesmo a corda ao pescoço.
Precisamos de adquirir equipamentos e materiais, e sobretudo algumas obras são necessárias para que possamos manter os requisitos míni…

Chamadas telefónicas de valor acrescentado

Recebi um e-mail com esta mensagem e embora não concorde com tudo o que se diz, aliás porque entendo que haja um custo de manutenção, deixo aqui este registo sobre as chamadas de valor acrescentado e que é sintomático daquilo que as pessoas pensam. Qualquer novo serviço, por mais positivo que seja, se não for suficientemente bem explicado, pode levantar dúvidas e até calúnias.

«É uma vergonha o que se passa com o valor das chamadas telefónicas de ajuda a vítimas de catástrofes. Vejamos então o que se passa com as ditas chamadas: Cada chamada custa a quem a faz 72 centimos (60 centimos + IVA). No entanto para as organizações de ajuda no terreno são canalizados apenas 50 centimos, ou seja mais ou menos 69% do que pagámos. Os restantes 31% - 22 cêntimos - vão uma parte para o IVA 20% e restante não sabemos bem para quem.

Assim, dos 72 centimos que oferecemos, temos que:
- organizações de Solideriedade recebem 50 centimos
- para os cofres do governo através do IVA 20% 12 cêntimos
- não sab…