Avançar para o conteúdo principal

INFÂNCIA TRAFICADA


DEPOIS DA REPORTAGEM E DO LIVRO, O CD

Muitas têm sido as iniciativas para angariar fundos que permitam a libertação de crianças escravas, que são forçadas a trabalhar no Lago Volta, no Gana, depois de vendidas pelos próprios pais, aos pescadores locais.

A Grande reportagem da TVI, conduzida pela jornalista Alexandra Borges e pelo repórter de imagem Júlio Barulho, alertou os portugueses de situações que não imaginávamos em pleno século XXI.

Mais tarde, um livro infantil editado pela Bertrand e escrito por Luís Figo e Alexandra Borges, com ilustrações de Ana Cardoso, "Filhos do Coração", permitiu que parte das receitas da venda desse livro fossem entregues à Fundação Luís Figo, permitindo que muitas daquelas crianças possam ser entregues a Organizações Não Governamentais que lhes dêem cuidados de saúde, escolaridade, afecto e uma cama.

Agora, com o apoio da Editora Discográfica FAROL, da TVI, da Revista Lux da Rádio Cormercial, da Fundação Luis Figo e da Worten vários cantores gravaram um Hino que o Tozé Brito e o Pedro Vaz compuseram, inspirado na reportagem " Infância Traficada".

A cantores conhecidos como Luís Represas, José Cid, Adelaide Ferreira, Suzana Félix, Rita Guerra, Tiago Bettencourt, Just Girls, 4Taste, Gil do Carmo, entre outros, juntaram-se jornalistas como Manuela Moura Guedes, Júlio Magalhães, Alexandra Borges, Ana Leal, apresentadores de televisão e actores como Pedro Granger, Dalila do Carmo, Sandra Celas, Rita Pereira, Agélico e muitos outros, para cantarem todos juntos e dar voz ao sofrimento das crianças escravas do Gana.

O CD, que contém o hino original e mais 10 temas que vários cantores portugueses cederam graciosamente a este projecto, estará à venda dia 17 de Novembro, em exclusivo nas lojas Worten. Cada CD terá o preço simbólico de 3 euros e, metade desse valor, reverterá para este projecto de solidariedade.

Não se paga nada para resgatar uma criança do Lago Volta mas, garantir segurança, saúde, alimentação e educação a cada uma destas crianças custa cerca de 1000 euros por ano.

Se, por exemplo, retirarmos uma criança com 5 anos do Lago, temos que lhe assegurar, pelo menos, os próximos 10 anos de vida e estudos o que implica um custo total de cerca de 10 mil euros para que, aos 15 anos, essa criança a quem foi roubada a infância, se transforme num adolescente independente e feliz.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que é o Fundraising?

«O conjunto de estratégias e procedimentos que levam as pessoas a darem voluntariamente recursos financeiros»

- O seu objetivo é conseguir doações;
- Mais do que conseguir doações, é conseguir doadores;
- Mais do que conseguir doadores é montar um sistema de conquista de doadores;
- Um sistema que os leve a doar cada vez mais e com maior frequência;
- Por fim, um sistema que os leve a deixarem um legado;
- E que façam tudo isso com alegria identificando-se com a causa da instituição.

Fundação Maria do Carmo Roque Pereira

Caros Amigos
Como muitos já sabem, o Miguel e eu dedicamo-nos de alma e coração já há vários anos à Fundação Maria do Carmo Roque Pereira.

A Fundação é uma IPSS cuja actividade principal é uma creche e um jardim Infância na zona da Graça, em Lisboa, com 50 Crianças entre os 18 meses e os 5 anos. Apoiamos também cerca de 80 familias (mais de 250 pessoas) através da entrega de cabazes do Banco Alimentar.

Funcionamos há alguns anos nos Claustros da Igreja da Graça. Um sitio lindissimo mas com muitas limitações e algumas faltas de condições, que todos os dias vamos tentando melhorar para oferecermos o melhor serviço - a equipa que ali está é extraordinária e às vezes faz verdadeiros milagres.

Como IPSS vocacionada para o apoio a famílias desfavorecidas e com muitas dificuldades, todos os dias apertamos o cinto e temos mesmo a corda ao pescoço.
Precisamos de adquirir equipamentos e materiais, e sobretudo algumas obras são necessárias para que possamos manter os requisitos míni…

Chamadas telefónicas de valor acrescentado

Recebi um e-mail com esta mensagem e embora não concorde com tudo o que se diz, aliás porque entendo que haja um custo de manutenção, deixo aqui este registo sobre as chamadas de valor acrescentado e que é sintomático daquilo que as pessoas pensam. Qualquer novo serviço, por mais positivo que seja, se não for suficientemente bem explicado, pode levantar dúvidas e até calúnias.

«É uma vergonha o que se passa com o valor das chamadas telefónicas de ajuda a vítimas de catástrofes. Vejamos então o que se passa com as ditas chamadas: Cada chamada custa a quem a faz 72 centimos (60 centimos + IVA). No entanto para as organizações de ajuda no terreno são canalizados apenas 50 centimos, ou seja mais ou menos 69% do que pagámos. Os restantes 31% - 22 cêntimos - vão uma parte para o IVA 20% e restante não sabemos bem para quem.

Assim, dos 72 centimos que oferecemos, temos que:
- organizações de Solideriedade recebem 50 centimos
- para os cofres do governo através do IVA 20% 12 cêntimos
- não sab…