Avançar para o conteúdo principal

KidZania Solidária


Brincar como gente grande




Alertar os mais novos para a importância da partilha. Proporcionar a quem mais precisa a oportunidade da passar um dia diferente, num espaço simultaneamente lúdico e pedagógico que, no imaginário dos jovens, é uma cidade de sonho para “brincar aos adultos”. A iniciativa KidZania Solidária angariou mais de 350 entradas gratuitas para crianças socialmente desfavorecidas que estão a viver “uma experiência marcante que dificilmente esquecerão”, como explica, em entrevista ao VER, o director geral da KidZania Lisboa
POR GABRIELA COSTA




“Para mim foi importante poder dizer a outros jovens da nossa idade que afinal podemos fazer muitas coisas para ajudar pessoas que precisam”. Foi com esta maturidade que João Pedro Pinto, onze anos, avaliou a sua participação no Fórum “Futuro em Valores – Testemunhos na primeira pessoa”, que decorreu em Janeiro no âmbito da iniciativa “KidZania Solidária”, debatendo a importância do voluntariado na formação dos mais novos. Também para Rita Ramos, doze anos, a acção “significou muito”, porque “foi uma maneira de mostrar aos outros jovens o quão importante é dar o nosso contributo” e também de “partilhar com eles as experiências a que fomos expostos e que nos fizeram perceber que podemos deixar a nossa marca no mundo sem precisarmos de recorrer a grandes esforços”, disse, peremptória, ao VER: “é importante termos a noção do mundo que nos rodeia e que à nossa volta há pessoas com dificuldades que nós podemos ajudar”.
Depois desta experiência, João Pedro acredita que “a solidariedade pode ter lugar no nosso dia-a-dia, em pequenas atitudes que para outras pessoas vão fazer toda a diferença” e adianta mesmo que, “a certa altura já faz parte da nossa vida e somos nós que temos necessidade de procurar novos projectos”.

A solidariedade é, pois, um estado de espírito que, no caso da “KidZania Solidária”, permitiu angariar 353 entradas gratuitas para crianças que se encontram numa situação social menos favorável, e que são apoiadas pela Irmandade da Misericórdia e de São Roque de Lisboa, entidade beneficiária da acção, que se dedica a apoiar crianças, idosos e doentes da Misericórdia de Lisboa.

Para esta entidade, o programa “foi muito bem pensado e executado. De uma forma coerente, apresenta um perfeito equilíbrio entre o lúdico, o pedagógico, a inter-ajuda e a promoção da auto-estima de todos os participantes”. Mafalda Ferro, da Irmandade da Misericórdia e de São Roque de Lisboa, defende mesmo que para cada uma destas crianças, apesar de ainda muito novas, visitar a KidZania foi uma experiência que dificilmente esquecerão.

É que se tratam de jovens que “nem sempre tendo a possibilidade de pensar nas suas opções de vida, trilham, muitas vezes repetidamente, os percursos de vida culturais, familiares ou característicos dos bairros onde vivem”. Na KidZania, “aprenderam que os sonhos existem e se podem realizar. Acredito que o dia passado na KidZania lhes servirá de incentivo e modelo quando, um dia, pensarem em construir o seu próprio projecto de vida”, conclui.

Já para a própria Irmandade, esta acção conjunta de duas instituições solidárias e da KidZania “constitui uma das nossas razões de existir e deu sentido ao empenhamento de todos os profissionais e voluntários envolvidos”.

ler +

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que é o Fundraising?

«O conjunto de estratégias e procedimentos que levam as pessoas a darem voluntariamente recursos financeiros»

- O seu objetivo é conseguir doações;
- Mais do que conseguir doações, é conseguir doadores;
- Mais do que conseguir doadores é montar um sistema de conquista de doadores;
- Um sistema que os leve a doar cada vez mais e com maior frequência;
- Por fim, um sistema que os leve a deixarem um legado;
- E que façam tudo isso com alegria identificando-se com a causa da instituição.

Fundação Maria do Carmo Roque Pereira

Caros Amigos
Como muitos já sabem, o Miguel e eu dedicamo-nos de alma e coração já há vários anos à Fundação Maria do Carmo Roque Pereira.

A Fundação é uma IPSS cuja actividade principal é uma creche e um jardim Infância na zona da Graça, em Lisboa, com 50 Crianças entre os 18 meses e os 5 anos. Apoiamos também cerca de 80 familias (mais de 250 pessoas) através da entrega de cabazes do Banco Alimentar.

Funcionamos há alguns anos nos Claustros da Igreja da Graça. Um sitio lindissimo mas com muitas limitações e algumas faltas de condições, que todos os dias vamos tentando melhorar para oferecermos o melhor serviço - a equipa que ali está é extraordinária e às vezes faz verdadeiros milagres.

Como IPSS vocacionada para o apoio a famílias desfavorecidas e com muitas dificuldades, todos os dias apertamos o cinto e temos mesmo a corda ao pescoço.
Precisamos de adquirir equipamentos e materiais, e sobretudo algumas obras são necessárias para que possamos manter os requisitos míni…

Chamadas telefónicas de valor acrescentado

Recebi um e-mail com esta mensagem e embora não concorde com tudo o que se diz, aliás porque entendo que haja um custo de manutenção, deixo aqui este registo sobre as chamadas de valor acrescentado e que é sintomático daquilo que as pessoas pensam. Qualquer novo serviço, por mais positivo que seja, se não for suficientemente bem explicado, pode levantar dúvidas e até calúnias.

«É uma vergonha o que se passa com o valor das chamadas telefónicas de ajuda a vítimas de catástrofes. Vejamos então o que se passa com as ditas chamadas: Cada chamada custa a quem a faz 72 centimos (60 centimos + IVA). No entanto para as organizações de ajuda no terreno são canalizados apenas 50 centimos, ou seja mais ou menos 69% do que pagámos. Os restantes 31% - 22 cêntimos - vão uma parte para o IVA 20% e restante não sabemos bem para quem.

Assim, dos 72 centimos que oferecemos, temos que:
- organizações de Solideriedade recebem 50 centimos
- para os cofres do governo através do IVA 20% 12 cêntimos
- não sab…