Avançar para o conteúdo principal

Presentes Solidários

A Fundação Evangelização e Culturas [FEC] lançou no dia 2 de Novembro, no auditório da Rádio Renascença, em Lisboa, a Campanha Presentes Solidários 2010. A campanha tem como objectivo lançar um desafio à sociedade portuguesa: E se cada um de nós contribuísse, efectivamente, para um mundo mais justo e solidário? O evento teve início pelas 16h00 e contou com a presença de algumas figuras públicas, que, este ano, apadrinham amavelmente a Campanha e se comprometem a mobilizar os portugueses para a festa de solidariedade do ano.


Caras tão conhecidas como o humorista Zé Diogo Quintela, padrinho do Presente para a Guiné Bissau; ou a jornalista Fernanda Freitas, madrinha do Presente para Portugal; ou ainda a escritora Alice Vieira, madrinha do Presente para Timor-Leste; a fadista Carminho, madrinha do Presente para São Tomé e Príncipe; e ainda o nadador olímpico, Miguel Arrobas, padrinho do Presente para Cabo Verde, brindaram-nos com boa-disposição e apelaram a que, em altura de crise, se revejam as prioridades e se aja no “hoje”, de forma solidária.

O futebolista Nuno Gomes, padrinho do Presente para Angola, a apresentadora Lara Afonso, madrinha para o Brasil e o político Marcelo Rebelo de Sousa, padrinho para Moçambique, não puderam estar presentes na conferência de lançamento, por motivos profissionais.

Os Presentes Solidários são 8 bens diferentes, mas a causa é a mesma: apelar à solidariedade dos portugueses em prol de um desenvolvimento e prosperidade partilhados com quem mais precisa. Mais educação, mais desenvolvimento sustentável, mais desenvolvimento sanitário, mais apoio à terceira idade e a recém-nascidos, mais condições dignas de vida, mais criação de emprego e mais apoio à natalidade são alguns dos alvos da campanha deste ano, que decorre até dia 6 de Janeiro de 2011.

Ao comprar um presente solidário, o dinheiro será entregue aos parceiros da FEC no terreno: Irmãs Doroteias (Angola), Cáritas Cabo Verde, Comissão Interdiocesana de Educação e Ensino da Guiné-Bissau, Missionários da Consolata (Moçambique e Brasil), Ordem dos Frades Menores Capuchinhos (Timor-Leste), Associação Mãos Unidas (São Tomé e Príncipe). São estas entidades idóneas que identificam e avaliam no terreno todo o tipo de carências das comunidades onde estão inseridas e encaminham a ajuda necessária. Depois de terminada a campanha, os resultados serão divulgados publicamente.

Mais informações consulte http://www.presentessolidarios.pt/

Comentários

judith disse…
Thanks for sharing such nice information. There are various innovative ideas which can be used as fundraisers for non profit organizations.

Mensagens populares deste blogue

O que é o Fundraising?

«O conjunto de estratégias e procedimentos que levam as pessoas a darem voluntariamente recursos financeiros»

- O seu objetivo é conseguir doações;
- Mais do que conseguir doações, é conseguir doadores;
- Mais do que conseguir doadores é montar um sistema de conquista de doadores;
- Um sistema que os leve a doar cada vez mais e com maior frequência;
- Por fim, um sistema que os leve a deixarem um legado;
- E que façam tudo isso com alegria identificando-se com a causa da instituição.

Fundação Maria do Carmo Roque Pereira

Caros Amigos
Como muitos já sabem, o Miguel e eu dedicamo-nos de alma e coração já há vários anos à Fundação Maria do Carmo Roque Pereira.

A Fundação é uma IPSS cuja actividade principal é uma creche e um jardim Infância na zona da Graça, em Lisboa, com 50 Crianças entre os 18 meses e os 5 anos. Apoiamos também cerca de 80 familias (mais de 250 pessoas) através da entrega de cabazes do Banco Alimentar.

Funcionamos há alguns anos nos Claustros da Igreja da Graça. Um sitio lindissimo mas com muitas limitações e algumas faltas de condições, que todos os dias vamos tentando melhorar para oferecermos o melhor serviço - a equipa que ali está é extraordinária e às vezes faz verdadeiros milagres.

Como IPSS vocacionada para o apoio a famílias desfavorecidas e com muitas dificuldades, todos os dias apertamos o cinto e temos mesmo a corda ao pescoço.
Precisamos de adquirir equipamentos e materiais, e sobretudo algumas obras são necessárias para que possamos manter os requisitos míni…

Chamadas telefónicas de valor acrescentado

Recebi um e-mail com esta mensagem e embora não concorde com tudo o que se diz, aliás porque entendo que haja um custo de manutenção, deixo aqui este registo sobre as chamadas de valor acrescentado e que é sintomático daquilo que as pessoas pensam. Qualquer novo serviço, por mais positivo que seja, se não for suficientemente bem explicado, pode levantar dúvidas e até calúnias.

«É uma vergonha o que se passa com o valor das chamadas telefónicas de ajuda a vítimas de catástrofes. Vejamos então o que se passa com as ditas chamadas: Cada chamada custa a quem a faz 72 centimos (60 centimos + IVA). No entanto para as organizações de ajuda no terreno são canalizados apenas 50 centimos, ou seja mais ou menos 69% do que pagámos. Os restantes 31% - 22 cêntimos - vão uma parte para o IVA 20% e restante não sabemos bem para quem.

Assim, dos 72 centimos que oferecemos, temos que:
- organizações de Solideriedade recebem 50 centimos
- para os cofres do governo através do IVA 20% 12 cêntimos
- não sab…