Avançar para o conteúdo principal

Fundação AIS recolhe mais de 90 milhões de euros para 5.600 projectos em 140 países

Foi o melhor ano de sempre da Fundação AIS a nível internacional.

Durante 2012, apesar da enorme crise económica que o mundo atravessa, e que se refecte muito particularmente em Portugal, esta fundação de direito pontifício conseguiu recolher mais 8 milhões de euros do que no ano passado, totalizando quase 90,8 milhões de euros. Esta verba permitiu apoiar cerca de 5 mil projectos em 140 países onde a Igreja é mais necessitada.

Esta ajuda dirigiu-se particularmente para os países onde a Igreja Católica está a viver tempos de maior crescimento - como é o caso da Índia, mas também do Brasil, Ucrânia e Rússia -, assim como houve a preocupação de se procurar dar uma resposta efectiva a projectos que envolvem a comunidade cristã em países onde o controlo estatal é muito forte, como na República Democrática do Congo, Cuba e Vietname.

Por sua vez, Paquistão, Iraque e Sudão mereceram uma atenção especial por parte da Fundação AIS, em resposta à contínua hostilidade e perseguição que se verifica nestes países contra os cristãos, não tendo sido esquecido também o povo mártir do Haiti, ainda a viver as consequências do trágico terramoto de 2010, ou as populações da Birmânia, actual Mianmar, que olham para o futuro político com incerteza.

Em Portugal, contrariando a enorme crise económica, estampada no aumento do número de desempregados, praticamente recolheu-se uma verba idêntica à de 2011, fixando-se agora o valor global em 2.228.888 euros.

Talvez é importante observar este quadro onde verificamos que mais de 59% são donativos individuais e os custos com a promoção, fundraising e administração não ultrapassam 20%.

Nada mal!


Mais informações: www.fundacao-ais.pt

Comentários

I just wanted to comment on your blog and say I really enjoyed reading your blog here. It was very informative and I also digg the way you write! Keep it up and I'll be back soon to find out more mate.Amazing post.

Mensagens populares deste blogue

O que é o Fundraising?

«O conjunto de estratégias e procedimentos que levam as pessoas a darem voluntariamente recursos financeiros»

- O seu objetivo é conseguir doações;
- Mais do que conseguir doações, é conseguir doadores;
- Mais do que conseguir doadores é montar um sistema de conquista de doadores;
- Um sistema que os leve a doar cada vez mais e com maior frequência;
- Por fim, um sistema que os leve a deixarem um legado;
- E que façam tudo isso com alegria identificando-se com a causa da instituição.

Fundação Maria do Carmo Roque Pereira

Caros Amigos
Como muitos já sabem, o Miguel e eu dedicamo-nos de alma e coração já há vários anos à Fundação Maria do Carmo Roque Pereira.

A Fundação é uma IPSS cuja actividade principal é uma creche e um jardim Infância na zona da Graça, em Lisboa, com 50 Crianças entre os 18 meses e os 5 anos. Apoiamos também cerca de 80 familias (mais de 250 pessoas) através da entrega de cabazes do Banco Alimentar.

Funcionamos há alguns anos nos Claustros da Igreja da Graça. Um sitio lindissimo mas com muitas limitações e algumas faltas de condições, que todos os dias vamos tentando melhorar para oferecermos o melhor serviço - a equipa que ali está é extraordinária e às vezes faz verdadeiros milagres.

Como IPSS vocacionada para o apoio a famílias desfavorecidas e com muitas dificuldades, todos os dias apertamos o cinto e temos mesmo a corda ao pescoço.
Precisamos de adquirir equipamentos e materiais, e sobretudo algumas obras são necessárias para que possamos manter os requisitos míni…

Chamadas telefónicas de valor acrescentado

Recebi um e-mail com esta mensagem e embora não concorde com tudo o que se diz, aliás porque entendo que haja um custo de manutenção, deixo aqui este registo sobre as chamadas de valor acrescentado e que é sintomático daquilo que as pessoas pensam. Qualquer novo serviço, por mais positivo que seja, se não for suficientemente bem explicado, pode levantar dúvidas e até calúnias.

«É uma vergonha o que se passa com o valor das chamadas telefónicas de ajuda a vítimas de catástrofes. Vejamos então o que se passa com as ditas chamadas: Cada chamada custa a quem a faz 72 centimos (60 centimos + IVA). No entanto para as organizações de ajuda no terreno são canalizados apenas 50 centimos, ou seja mais ou menos 69% do que pagámos. Os restantes 31% - 22 cêntimos - vão uma parte para o IVA 20% e restante não sabemos bem para quem.

Assim, dos 72 centimos que oferecemos, temos que:
- organizações de Solideriedade recebem 50 centimos
- para os cofres do governo através do IVA 20% 12 cêntimos
- não sab…