Avançar para o conteúdo principal

O Gsolidário chegou ao fim

Acabei de receber um comunicado da equipa que liderou o projecto Gsolidário.
Infelizmente o projecto chegou ao fim. Apesar desta contrariedade, esperamos que a equipa não desanime e abrace um novo projecto que possa dar continuidade a toda esta dinámica criada até agora. Parabéns pelo trabalho realizado e não desistam porque precisamos muito do vosso entusiasmo e criatividade!

Fica aqui o comunicado:

"Ao contrário de todas as comunições anteriores, esta não vos traz boas notícias.

Como é do conhecimento público o Gsolidário usou durante os seus anos de atividade dois serviços da Google: Google Costume Search + Google Adsense. O Google Costume Search oferecia a todos os utilizadores os mesmos resultados da Pesquisa Google. O Google Adsense juntava publicidades às pesquisas para que o Gsolidário angariasse os montantes tão desejados pelas mais de 100 instituições inscritas.

Nos últimos meses a Google alterou o seu serviço de Costume Search, razão pela qual os resultados apresentados foram sofrendo algumas alterações (apenas em termos de apresentação). Foi grande o esforço para manter o Gsolidário ativo mesmo com as alterações no Costume Search. Neste momento a ferramenta que usamos de Costume Search vai ser descontinuada e um novo serviço idêntico irá surgir mas desta vez pago. Isto não seria um grande problema uma vez que o valor angariado nas publicidades poderia pagar este serviço e ainda sobrar dinheiro para apoiar as causas.

O maior problema surgiu no início de Junho quando a Google, sem se justificar, cancelou a conta de Adsense do Gsolidário. A partir desse momento as publicidades deixaram de surgir e o Gsolidário deixou de angariar dinheiro para entregar às instituições. Perguntámos à Google a razão pelo cancelamento da conta uma vez que nada mudou na nossa abordagem e acreditávamos que este serviço fosse uma relação win-win entre a Google e todas as instiuições do Gsolidário. Contudo, as respostas não foram favoráveis à continuidade deste projeto.

Posto isto contatámos outros serviços de publicidade mas não obtivemos resposta. Esta sucessão de acontecimentos leva-nos a crer que o modelo apresentado pelo Gsolidário deixou de fazer sentido. É natural que o mercado mude, a tecnologia evolua, os serviços se alterem. E infelizmente temos que viver com isso.

Com imensa pena nossa, o Gsolidário é a partir deste momento um projeto terminado.

Às instituições que participaram neste projeto deixamos uma palavra especial. O apoio foi sempre fantástico. Mesmo no início do projeto, quando poucos acreditavam, deram o seu melhor e trabalharam junto da opinião pública para mudar mentalidades.

À comunicação social nomeadamente a Rádio Renascenca, Jornal Sol e dezenas de jornais regionais agradecemos pelas notícias publicadas que ajudaram em muito o projeto a tornar-se global.

Aos milhares de utilizadores registados no Gsolidário deixamos um super agradecimento. Este projeto foi pensado por nós mas só com voçês fazia sentido e poderia ter sucesso. E teve.

Despedimo-nos com o sentimento de dever cumprido. Em 4 anos de atividade entregámos milhares de euros a instituições e causas sociais em Portugal, que certamente tornaram centenas de pessoas um pouco mais felizes.

Obrigado.
Joana Gordalina Figueiredo
Paulo Marques"

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O que é o Fundraising?

«O conjunto de estratégias e procedimentos que levam as pessoas a darem voluntariamente recursos financeiros»

- O seu objetivo é conseguir doações;
- Mais do que conseguir doações, é conseguir doadores;
- Mais do que conseguir doadores é montar um sistema de conquista de doadores;
- Um sistema que os leve a doar cada vez mais e com maior frequência;
- Por fim, um sistema que os leve a deixarem um legado;
- E que façam tudo isso com alegria identificando-se com a causa da instituição.

Fundação Maria do Carmo Roque Pereira

Caros Amigos
Como muitos já sabem, o Miguel e eu dedicamo-nos de alma e coração já há vários anos à Fundação Maria do Carmo Roque Pereira.

A Fundação é uma IPSS cuja actividade principal é uma creche e um jardim Infância na zona da Graça, em Lisboa, com 50 Crianças entre os 18 meses e os 5 anos. Apoiamos também cerca de 80 familias (mais de 250 pessoas) através da entrega de cabazes do Banco Alimentar.

Funcionamos há alguns anos nos Claustros da Igreja da Graça. Um sitio lindissimo mas com muitas limitações e algumas faltas de condições, que todos os dias vamos tentando melhorar para oferecermos o melhor serviço - a equipa que ali está é extraordinária e às vezes faz verdadeiros milagres.

Como IPSS vocacionada para o apoio a famílias desfavorecidas e com muitas dificuldades, todos os dias apertamos o cinto e temos mesmo a corda ao pescoço.
Precisamos de adquirir equipamentos e materiais, e sobretudo algumas obras são necessárias para que possamos manter os requisitos míni…

Chamadas telefónicas de valor acrescentado

Recebi um e-mail com esta mensagem e embora não concorde com tudo o que se diz, aliás porque entendo que haja um custo de manutenção, deixo aqui este registo sobre as chamadas de valor acrescentado e que é sintomático daquilo que as pessoas pensam. Qualquer novo serviço, por mais positivo que seja, se não for suficientemente bem explicado, pode levantar dúvidas e até calúnias.

«É uma vergonha o que se passa com o valor das chamadas telefónicas de ajuda a vítimas de catástrofes. Vejamos então o que se passa com as ditas chamadas: Cada chamada custa a quem a faz 72 centimos (60 centimos + IVA). No entanto para as organizações de ajuda no terreno são canalizados apenas 50 centimos, ou seja mais ou menos 69% do que pagámos. Os restantes 31% - 22 cêntimos - vão uma parte para o IVA 20% e restante não sabemos bem para quem.

Assim, dos 72 centimos que oferecemos, temos que:
- organizações de Solideriedade recebem 50 centimos
- para os cofres do governo através do IVA 20% 12 cêntimos
- não sab…